UTIs operam abaixo dos 100% pela primeira vez em um mês no RS

UTI do Hospital de Clínicas em Porto Alegre na terça-feira, 2 de março de 2021 — Foto: Silvio Avila

Pela primeira vez durante 30 dias o Rio Grande do Sul tem um alívio, mas UTIs no estado, esse alívio, porém, se aplica aos hospitais públicos. As instituições privadas ainda operam em superlotação.

Situações nas UTIs

3.338 pessoas internadas em UTIs, restando livre 49 de um total de 3.387 leitos distribuídos em quase 300 hospitais pelo Estado.

No (SUS) as UTIs estão com 2.226 pacientes que necessitam de tratamento intensivo, isso representa na saúde pública 92,8% da ocupação do estado.

113,3% é a ocupação na rede privada, com uma capacidade de 946 pessoas, a demanda de leitos é de 1.072.

No dia 19 de março foi registrado o maior índice de lotação com 111% da capacidade, eram 3.604 pacientes para 3.246 vagas disponíveis.

Na segunda-feira (29) o secretário estadual de saúde, Nécio Fernandes, disse que continua crescendo a pandemia no estado e que a rede hospitalar segue pressionada e o risco de um colapso é real.

“A ocupação deve se manter acima de 90% por algumas semanas. A partir da próxima semana, o estado passará a ser definido novamente pelo mapa de gerenciamento de risco. Teremos pelo menos 20 a 25 municípios permanecendo em risco alto. Cerca de 50 a 54 municípios em risco moderado, considerando a simulação feita nesta manhã”, pontuou o secretário.

O Rio Grande do Sul segue essa semana vacinando os idosos e demais categorias que se adéquem a esta fase da primeira aplicação da vacina contra a Covid-19.