RS tem queda inédita na população no mês de março

No mês de março a taxa de mortalidade ultrapassou a taxa de nascimentos, no referido mês o estado chegou a ter 100% de ocupação de leitos na UTI.

Essa é a primeira vez desde 1979, que é a data mais antiga dos registros do SIM (Sistema Integrado de Mortalidade), do Ministério da Saúde, onde o RS teve mais mortes do que nascimentos, fato que ocorreu devido a Covid-19 e aumento de pessoas internadas na UTI.

Na quarta-feira (7), foram constatados 34.459 óbitos registrados no sistema no mês de março contra 34.211 nascimentos, que resultou em uma diferença de 248 casos, é o que informa o portal da Arpen/Brasil (Associação Brasileira de Registradores de Pessoas Naturais), responsável por todos os dados de registros de óbitos, nascimentos e casamentos desde o ano de 2015.

Em março do ano passado, a taxa de nascimento era maior do que a taxa de mortalidade, com diferença de 13.058 casos, sendo 28.820 nascimentos contra 15.762 mortes, era assim ao menos nas últimas quatro décadas, segundo dados do SIM (Sistema Integrado de Mortalidade).

Em março, o Rio Grande do Sul foi o estado que mais teve emissões de certidões de óbitos com 8.148 certidões, contra 5.737 no Paraná e 3.335 em Santa Catarina.

No fim de fevereiro deste ano, o estado foi classificado com situação gravíssima de contágio e foram impostas medidas severas aos serviços não essenciais como bares e restaurantes.